Pastor de púlpito e não de de ovelhas

Tenho observado um comportamento extremamente comum nas igrejas evangélicas de todo o país. É o pastor de púlpito, e sempre com ótima homília, mas que nunca visitam as “ovelhas da igreja”.

Ou mandam os presbíteros visitar os membros, ou fingem que os membros não existem perante a igreja…

Vamos a reflexão…

Primeira reflexão: qualquer um do corpo eclesiástico da igreja pode visitar, ou seja, importante é fazer visitas (menos o pastor); segunda: a igreja já é suficiente em si mesma para prover toda e qualquer orientação para os “candidatos a membros ” ou “membros definitivos”.

A LITURGIA É SUFICIENTE EM SI MESMA PARA ALIMENTAR A IGREJA!

Muitos desses pastores acabam depois de muito “pastorear” saindo pela porta dos fundos da igreja. Os próprios membros da igreja pedem para o “pastor” sair, pois não cuida de ovelhas, mas cuida bem do púlpito: ar condicionado na igreja, cadeiras de belo estofamento, coral com belas músicas, mas muito longe daquilo que Jesus pediu “as ovelhas conhecem a minha voz”.

Se conhecem, é porque houve um contato pessoal, e não contato pelo púlpito da igreja.

Falo isso, pois já presenciei isso em minha vida duas vezes.

O primeiro pastor pertencia a uma igreja evangélica tradicional no Brasil.

Foi expulso dessa, e criou uma igreja de denominação muito parecida com a tradicional em Marília.

Foi um fiasco…

O outro chegou com toda a pompa para superar um homem de Deus aqui em Marília, muito educado, e que se transferiu para outra cidade do Brasil.

Logo o pastor substituto, afastou o presidente do coral, e fez política de coaptação dentro da igreja com os atuais presbíteros.

Ou seja, pastor e presbíteros , só com títulos de cargos eclesiásticos, mas muito longe do apregoado por Jesus “as ovelhas conhecem a minha voz”.

Nunca recebi visita de pastor ou de presbíteros…

Para finalizar, sugiro cuidado com igrejas bonitas na mobília, centrais na cidade, mas frias no acolhimento, sem visitas pastorais.

Sugiro a leitura do livro de David de Hansen “A Arte de Pastorear”, e ainda refletir que os pastores de hoje precisam aprender que pastorear não é apenas pregar, administrar, ensinar ou dirigir a liturgia.

É possível fazer todas essas coisas sem realmente pastorear.

Pastorear é acima de tudo cuidar.

Observe que Paulo disse aos anciãos (presbíteros) de Éfeso, conforme At 20.28:
-Cuidem por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu pastores, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.

Cuidar de si mesmo é pré-requisito para quem pretende cuidar de outros.

Hoje se fala em conservar saúde física e mental, família e finanças ordenadas, boa administração do tempo, vida devocional, disciplina de estudos…

Porém, é pouco provável que Paulo estivesse pensando nisso quando recomendou “cuidado”.

A preocupação do apóstolo visava perseverança na fé e no ensino, alertava sobre o perigo dos falsos mestres, da ganância e dos desvios de conduta.

Os grandes males que têm destruído ministérios pastorais são: a imoralidade sexual, em todas suas manifestações; a arrogância e o orgulho, que trazem a reboque os desvios doutrinários e a tirania religiosa; a vaidade, a inveja e a cobiça, que levam alguns a tentar viver num padrão que não podem ou desejar coisas que não precisam.

Cuidar do rebanho de Deus é um privilégio.

Moisés teve que aprender a cuidar dos rebanhos de seu sogro antes de liderar Israel; um rei foi escolhido por ter “coração de pastor”, capaz de por a vida em risco na luta contra um urso e um leão para defender uma única ovelha.

Ora, se Davi era tão cuidadoso com o rebanho de Jessé, não seria também achado fiel no cuidado do rebanho de Jeová?

No dia a dia do ministério pastoral o grande desafio é não perder a ternura, o prazer de ter cheiro de ovelha, o gosto de conduzir, de guiar sem opressão, apenas sendo modelo, exemplo de fé, pureza e amor.

É a tarefa mais excelente dentre as muitas oportunidades de servir no Reino de Deus, daí serem muitos os líderes, mestres, evangelistas, profetas, cantores e administradores que são chamados de pastores.

Muitos têm o título, pois é cultural se dar maior valor as expressões como “pastor”, “reverendo”, “bispo” e hoje até “apóstolo”.
Todavia, nem estes todos que usam o título têm coração de pastor.PASTOR DE PÚLPITO E NÃO DE OVELHAS…

É isso precisamos de pastores com coração de pastor.

Vamos refletir…

 

23 Commentários

  • Parabéns pelo seu artigo>. Muito bom. deus o abençoe meu amigo.

  • Parabens pelo seu artigo! Muito bom. Deus o abençoe meu amigo.

  • Eh,sinto falta de um amigo pastor,que me possa entender…..Sinto que o meu pastor so se interessa pela minha oferta e dizimo e nao com a minha vida espiritual,mas estamos ai…

  • Gostei do artigo, fantástico.A muito tempo reflito sobre este tema. Também muito me preocupa o contato do Pastor para com as suas ovelhas. Não consigo entender uma igreja com 10.000 membros, pois para mim paira a vaidade humana o que é natural e ao mesmo tempo perigoso, pois como é que fica o acompanhamento do Pastor para com a sua ovelha? E mais uma vez reflito… o Pastor conhece você? Ele sabe quais são os problemas que tu vivencias? Quem é você numa igreja de 10.000 pessoas. Me permita, se numa igreja pequena de 300 pessoas você se ausentando ou não os teus próprios colegas de “células” nem sequer ligam para ti, o que eu já tive a oportunidade de vivenciar, imagine o Pastor. Me desculpem, mas quer conhecer um homem , der poder para ele. Já vi pastores que se transformam diante de um púlpito, tornam-se essencialmente arrogantes, imponentes. É o ser humano.

  • Muito bom!!!! Parabéns Dr. Marchioli, pelo seu artigo, PASTOR DE PÚLPITO E NÃO DE OVELHAS. Realmente esse comportamento tem sido muito comum nas igrejas evangélicas.
    Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores. (Hebreus6.9)
    O pastor francês Antoine Court, pregando em um seminário , observou: “A França iniciou seu declínio quando perdeu Deus de vista. O povo em geral continuou com suas práticas tradicionais, mas perdeu o seu referencial, a sua convicção, a razão de sua fé.”
    Precisamos transcender os esterótipos e as convenções humanas, para romper o sobrenatural.
    Se compreendermos o que de fato, representou a obra da cruz, chegaremos à conclusão de que tudo o que fizermos para Deus ainda é muito pouco. Na verdade precisamos refletir Cristo, oferecer o nosso melhor e buscar sempre mais na presença do Senhor.
    Foi Ele (CRISTO) quem “deu dons às pessoas”. Ele escolheu alguns para serem apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e ainda outros para pastores e mestres da Igreja (Efésios 4.11)

    Deus abençoe sua vida Dr. Marchioli.
    Abraços!!!

  • parabens dr.marchioli,pelo artigo e o que esta acontecendo infelizmente dentro das igrejas . os pastores com p minusculo ,so querem os dizimos e ofertas dos membros ,nao visitam os membros ,nao se preocupam com a vida espiritual das ovelhas .pode faltar a igreja a vontadade mas mande o dizimo e as ofertas.cuidar mesmo que e bom nao cuida,nao visita so se for de situaçao financeira boa.nao estou mim referindo aqui aos servos verdadeiros ungidos do senhor pastores com p maiusculo que dao a vida pelas ovelhas
    .

  • parabens pelo artigo que deus o abençoe ricamente

  • Realmente tema muito bom gostei muito parabéns. Gilson Silva Salvador-Ba

  • Por favor, tive um Pastor que nunca foi de visitar ovelhas, seja lá o problema que fosse, doença, morte e etc, e nem também tinha o habito de procurar saber por telefone.
    Nunca foi de ir atras de ovelhas também, a ovelha poderia sair tanto por ter voltado para o mundo, ou teve algum problema com a igreja ele nunca foi atras de nenhuma ovelha.
    A justificativa qual esse Pastor dá, é que na palavra de Deus não tem lugar algum escrito onde que Pastor tem que estar visitando ovelhas.
    Eu não concordo, só que na verdade andei estudando a Bíblia
    nesse assunto, e realmente não tem textos claros falando sobre visitas as ovelhas.
    POR FAVOR VOCE PODERIA ME AJUDAR NESSE ASSUNTO.

    • Mateus 25.

      35 porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes;
      36 estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estava na prisão e fostes ver-me.
      37 Então os justos lhe perguntarão: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
      38 Quando te vimos forasteiro, e te acolhemos? ou nu, e te vestimos?
      39 Quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos visitar-te?
      40 E responder-lhes-á o rei: Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes.

  • Na Bíblia Sagrada existe uma lição formidável na relação entre o pastor e suas ovelhas.É tão espiritual e profundo, que o Senhor Jesus chamou a Si mesmo de Bom Pastor e, a nós, de ovelhas do seu rebanho.
    Jeremias 23.1. Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. 2 Portanto, assim diz o SENHOR, o DEUS de Israel, acerca dos pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. 3 E eu mesmo recolherei o resto das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; e frutificarão e se multiplicarão. 4 E levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e nunca mais temerão, nem se assombrarão, e nem uma delas faltará, diz o SENHOR.
    Foi por isso que Jesus nos ensinou, dizendo: João 10.1 Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador. 2 Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. 3 A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas e as traz para fora. 4 E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. 5 Mas, de modo nenhum, seguirão o estranho; antes, fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.

  • Muito boa esta mensagem precisava ler no momento em que estou passando, aprendi muito ,pena que todos os pastores não tem tempo para ler e aprender a cuidar de seu rebanho , mas que Deus continue usando nosso amado pastor a falar a verdade… fique na paz do nosso senhor jesus.

  • Ok, voce tem razão, hoje algumas igrejas são mais teatros do que própriamente igreja, TEATRO, TEATRO, TEATRO, algumas se esqueceram realmente que Jesus disse que sua casa é casa de oração. Porém creio que a maior responsabilidade de um pastor é fazer com que as ovelhas se deitem em pastos verdejante “PALAVRA, PALAVRA, PALAVRA…” ASSIM SERÃO GUIADAS MANSAMENTE A ÁGUAS TRANQUILAS.
    Me lembro de quando era criança na minha igreja o pastor era responsavel por tudo que acontecia dentro das familias (que horror) tudo tinha que chamar o Pr (lamentável) crentes que jamais passariam do leitinho, mau ensinados, mau acostumados, sempre se lastimando, lamuriando e chorando, dependente totalmente do Pastor (kde a palavra que diz: Eis que VOS dou poder…..?) ou isso só vale para os pastores?
    40 anos se passaram, hoje com grande alegria vejo que os pastores aprenderam a ensinar a PALAVRA, os crentes velhos dominadores, cheios de costumes e religiosidades não ficam nessas igrejas, pois eles se acostumaram a serem BAJULADOS, ao invés de se levantarem, tomar posse da benção crescerem espiritualmente continuam dependendo da visita do Pr para se fortaleceram, continuam seguindo o homem e não a Deus na pessoa de Jesus Cristo…LAMENTAVEL. FIQUE NA SANTA PAZ DO SENHOR. AMÉM

  • gostei muinto desse artigo pois é relmente isso q tem acontecido,milhares de pastores de pulpito!

  • Infelizmente este comentário é verdadeiro e os pastores jogam o alimento do pulpito se você está sadio, se você está doente eles não perguntam porque você não comeu, e não exite preocupação com a saúde espiritual das ovelhas. Eu falo isto de uma igreja pequena com cem ovelhas. Imagine igreja grande. Tem horas na vida que é você e Deus. Jesus passou por isso e nem todos tem essa maturidade para permanacerem firmes.

  • [...] Por Milton Marchioli, [...]

  • Tomei a liberdade de citar este post em meu modesto blog.

  • Volto a este tópico mais uma vez para deixar o meu parecer, sei que não vou agradar, mas fazer o que né? Então, sinto falar mas: têm crentes que já nascem doentes, vivem doentes, atrofiados, ouvem a palavra mas não vivem, vivem reclamosos, lamuriosos, sempre culpando alguém ou “Satanás” por sua fraqueza espiritual e esperam sempre que alguém os leve a Cristo como o paralítico do telhado (mateus 9).
    O pastor deve ensinar esse povo ir a Cristo sem depender de ninguém, pois no céu não entraremos agarrados a ninguém, visto que a salvação é individual, ensinemos esse povo a buscar crescimento espiritual, buscar cura interior, buscar libertação das amarras, das correntes que os prende ao lodo…
    É isso, ovelhas devem ouvir a voz de seus pastores que os levam a pastos verdejantes para crescimento espiritual, mas se não os ouvirem e os seguirem, ficarão parados à beira do caminho se lamentando e chorando, porque o rebanho segue em frente, excepcionalmente alguém poderá voltar e os pegar pelo braço, mas carrega-los pela caminhada toda fica um tanto penoso né?
    Não passemos a mãos na cabeça dos mais fracos, mas os alimentemos com PALAVRA pois a fé vem de ouvir e o ouvir a palavra de Deus, assim poderão viver pela fé.
    Graça e paz a todos.

  • Gostei muito, Deus continue te usando e realmente O PASTOR TEM QUE TER CHEIRO DE OVELHA um forte abraço

  • Gostei Muito.Imagina que eu estava orando e pedi ao Senhor pra falar comigo,contei ao Senhor sobre o Pastor da minha igreja que é um pastor de púlpito,não visita as ovelhas,não se preocupa não liga,então abri a bíblia e saiu nesta passagem Jeremias 23.1-4:Que diz claramente Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto,diz o Senhor…O Senhor não nos quer abandonados e sozinhos tanto é que deixa claro também quando diz:E levantarei sobre elas pastores que as apascentem,e nunca mais temerão ,nem se assombrarão, e nem uma delas faltará,diz o Senhor.Ouvi recentemente o Pastor da minha igreja dizer para uma ovelha.Eu não faço questão de vc aqui. Mateus 24-12 será que pastores também se enquadram neste perfil?Que diz:E por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriará Matheus 24-12.Pastor Reinaldo Marques Deus te abençoe muitíssimo,por este artigo tão precioso.

  • É dessa maneira. Muitos pastores não dão valor para seus membros , mas eu creio que Deus esta vendo tudo e vai cobrar deses pastores que não apascenta suas ovelhas Ótimo comentário. Pena que muitos cristãos não tem aceso a net.

  • Muito obrigado! Nesse artigo Deus me mostrou que no momento estou vivendo exatamente isso.
    E realmente estamos vivendo esse momento de quase ter que tirar o pastor titular da nossa igreja pois ele não condiz com a realidade que a bíblia exige.

  • Infelizmente os pastores de hoje esqueceram que Deus foi e é humildade . A humildade vem do nosso Senhor todo poderoso .

Sua opinião é importante. Identifique-se. Queremos manter o diálogo...

Milton Marchioli - Site Oficial

PROF. DR. MILTON MARCHIOLI

• Graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina de Marília (1988)
• Mestre em Medicina pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999)
• Doutor em Medicina pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2003)
• Docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Marília (UNIMAR) de 1998 a 2005 nas disciplinas de Semiologia Médica e Nefrologia
• Docente da Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA) desde 2006 na disciplina "Educação em Ciências da Saúde"
• MBA em Gestão de Hospitais e Sistemas de Saúde 2007-2008 (UNIVEM)
• MBA em Direito do Trabalho 2009-2010
• Aluno do curso de Direito da UNIVEM. Início em 2010
• Perito na Justiça Federal de Marília - 11ª Subseção Judiciária de São Paulo desde 2008. Perito da Justiça do Trabalho desde 2009
• Produtor e apresentador de temas de Saúde Pública e Saúde Suplementar da Cooperativa Médica de Marília - Unimed Marília entre 2005 e 2010